segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Resenha: "A menina do Vale" - Bel Pesce

Sem dúvidas "A menina do vale" foi um dos livros mais inspiradores que li este ano. Quem não conhece a autora, vai se tornar fã e vai até pensar em imprimir uma foto dessa forte brasileira como inspiração de cada dia. Bel Pesce nasceu em São Paulo e é gente como a gente. A diferença é que ela seguiu seus sonhos e não desistiu (e não desiste) nunca. Com apenas 24 anos, Bel já estudou no famoso Massachusetts Institute of Technology (MIT) e, durante a faculdade, trabalhou na Microsoft, Google e Deutsche Banks. Além de ter terminado vários outros cursos para sua especialização (engenharia elétrica, ciências da computação, administração e etc.), já "liderou três times de engenheiros na companhia americana Ooyala e recentemente se juntou ao time fundador da Lemon." Quando terminou a faculdade, Pesce se mudou para o Vale do Silício, "onde se respira empreendedorismo."

 Bel Pesce dá diversas dicas sobre como começar uma empresa e os cuidados que se deve ter ao tomar certas decisões, sempre ressaltando que empreender não é fácil. Mesmo falando sobre empreendedorismo, todas essas dicas são essenciais e cruciais para qualquer pessoa que deseje crescer profissionalmente e pessoalmente também. É incrível e inspirador o modo como ela explica todas essas dicas, pois te prende até o fim e, ao mesmo tempo, faz com que você queira - imediatamente - parar para pegar um papel e um lápis e traçar objetivos loucos e incrivelmente altos em sua vida.

O livro todo é lindamente ilustrado e organizado em tópicos com pouca leitura em cada um deles, mas com muito aprendizado em cada palavra combinada - tornando-o fácil de ler. Só de sabermos um pouco sobre toda a trajetória profissional de Bel Pesce e relacioná-la com a sua jovem idade, é claro perceber que ela é persistente e muito corajosa por ter saído de sua zona de conforto e lutado pelo que ama. E a paixão pelo que ela faz é constantemente retratado no livro. A cada palavra, você absorve o carinho e a atenção que tem ao falar sobre sua profissão.

Sobre isso, Bel diz que é de extrema importância amar o que você vai fazer futuramente, pois assim, você conseguirá reagir aos erros que cometerá no futuro e voltar 100% para o próximo desafio. E os erros serão muitos para um empreendedor; mas embora você pense que isso não é um bom sinal, Bel diz que é de extrema importância para qualquer um, pois a partir desse erro, você crescerá e aprenderá a não cometê-los novamente. Em suas palavras, "errar não tem problema, desde que gere um conhecimento que pode ser aplicado para melhorar sua empresa e acelerá-la na direção positiva.". Uma grande novidade que tirei em relação à isso, foi quando ela diz que se sua empresa não está errando, é porque você não está se arriscando o suficiente e, por consequência, sua empresa não crescerá.

Ter humildade. Este é um dos curtos tópicos presentes no livro, mas extremamente inspirador. E outra que causou grande impacto para mim, foi a de sair da zona de conforto e se propor a cometer riscos, independentemente se vai levar um "sim" ou um "não". Para o pessoal, ir à lugares diferentes e fazer coisas diferentes, te ajudará a crescer e aprender coisas novas - sair da zona de conforto. E não ter medo de errar, cometer riscos e aprender com os possíveis erros. Tudo isso fará com que você aprenda sobre qualquer coisa que seja e também sobre si mesmo. Você se conhecerá melhor.

É visível a força de vontade que Bel Pesce tem. É visível sua curiosidade e sua (imensa) ansiedade em aprender. E é incrível ver aonde ela chegou com sua própria força. Tudo só dependeu dela e de sua imensa paixão pelo que faz. Com todas as outras dicas - ela também recomenda a leitura de alguns livros e sites que a inspiraram e inspiram -, é visível perceber o quanto ela conseguiu aprender durante toda a sua trajetória profissional. E com toda a sua extrema humildade, Bel Pesce sabe reconhecer que não foi sozinha que ela conseguiu chegar onde está hoje. Foi com o diálogo com outras (milhares de) pessoas e com a absorção de suas experiências, que ela conseguiu o que tanto almejou. Essa brasileira vai (muito) longe.

PorBella.

E é com este post não planejado - mas que acabou saindo por muita inspiração que absorvi em "A menina do Vale" - que digo "Adeus!" à 2012 e digo "Vem ni mim, 2013!!!". :D

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Resenha: A culpa é das estrelas, de John Green

fonte:: http://so-changeable.blogspot.com.br/2012/09/a-culpa-e-das-estrelas.html

A história mais cancerígena e engraçada que eu já li até hoje. “A culpa das estrelas” é um livro para se lembrar um dia. Com seus altos e baixos de risos e choros, John Green é incrivelmente bom em envolver o leitor numa história original e irônica, com pitadas de momentos hilários que depois vão para o drama da dor num passe de palavras.

“A culpa das estrelas” é um fofo romance entre dois jovens desgraçados. Ela, a narradora, é Hazel Grace e tem um irrecuperável câncer no pulmão. Ele, o príncipe encantado filósofo, é Augustus Waters e tem uma perna e um tiquinho da outra. Eles se conhecem num Grupo de Apoio – onde as pessoas que estão com câncer vão para encontrar forças e rezar, e onde fica o coração de Jesus Cristo -  e depois trocam nomes de livros e pensamentos e "O.k.s". Entre a certeza de que vai morrer e o medo de fazer as outras pessoas sofrerem por sua futura morte, Hazel tenta ao máximo resistir à tentação dos incríveis músculos e dos olhos azuis de seu paquera, Gus – para os mais íntimos. Mas, no final, todos nós sabemos que em todo o romance rola um beijo romântico (e rola, e é muito fofo e engraçado).

Hazel é demais. Tem um ótimo senso de humor negro (e incrível) sobre as pessoas, a vida e a morte, e tenta sempre levar as coisas na brincadeira e ironia. Seus pais são os mais adoráveis e caretas de todos os outros pais existentes no mundo, e são terrivelmente vidrados nessa única filha que pode morrer a qualquer momento – ela anda e depende sempre do oxigênio vindo de máquinas. Já Augustus é um daqueles jovens que, como Hazel, adora uma brincadeira, mas que quer ser lembrado por todos um dia. Por conta de uma doença chamada osteossarcoma, ele teve que amputar grande parte de sua perna e, por conta disso, dirige terrivelmente mal e tem dificuldades em subir escadas e etc. O que une, praticamente, os dois pombinhos é o amigo Isaac, e o livro preferido de Hazel, Uma aflição imperial.

Essa resenha está muito chata para fazer jus ao livro. Tudo o que posso dizer que é hilário e que você tem que ler algum dia. É de fácil leitura e te prende até o final. Com uma pitada de melancolia por conta do câncer (que é super-hiper-mega tratado no livro), ele te faz enxergar a vida e a doença em si de uma maneira diferente. Embora a capa seja simples e um pouco infantil, você vai aprender bastante coisa com esses dois personagens guerreiros e infinitos, nas mais diversas situações que depois viram metáforas inteligentes e brilhantes. Muita metáfora, muita filosofia, muito riso, muito choro, muito romance e muita reflexão. John Green é demais. O.k.

PorBella

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Ilustração: Sarah Hankinson

Eu adoro as ilustrações da Sarah! E tudo o que sei dela é que ela é inglesa, trabalha como freelancer com suas ilustrações para as revistas - geralmente de moda - e que ela também trabalha em uma loja de roupas. Também sei que ela está muito feliz fazendo o que gosta. :)
Atualmente ela ilustrou um calendário de 2013 e está vendendo na internet. Para saber mais, tem o site e o blog dela.

PorBella



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Cliques: Canal de vídeos Fletcher

HERE! É um canal muuuito legal! Lá o Tom Fletcher - vocalista e guitarrista da banda Mcfly - posta seus vídeos cantando músicas da banda, falando sobre alguma coisa, ou cantando covers... O último cover, aliás, eu gostei muito; Tom cantou "Listen" da Beyoncé.



Outro canal muuuito legal também, é o da irmã dele, a Carrie Fletcher! Não é puxa saquice, não! É porque é realmente legal (quando eu entendo o que ela fala)... Here!

E o meu vídeo preferido dela são dois: um que ela fala sobre os melhores livros que ela já leu, e um que ela faz brigadeiro na casa dela (ou do Tom, I don't know)! :)



PorBella

domingo, 18 de novembro de 2012

Decoração: Papel de parede









Hogwarts!!!! Saudade! :(






Ok, vou revelar minha fonte. Na verdade não é uma exata, mas também não é o Google Imagens. O site que pego as fotos é o famoso - ou não - Pinterest. Ainda não tenho uma conta, mas é bem interessante. Parece We Heart It. Entrem porque tem muuuuitas coisas legais de decoração! :D

PorBella