terça-feira, 22 de junho de 2010

Saudades

Estava no sítio que lhes pertencia, pensando na vida, apenas olhando as árvores, como se fosse alguém que finge estar admirando a natureza. Me recordava de quando vocês estavam vivos. Nossa família era tão unida, todos os fins de semana eram feitos de músicas, de união.
Havia vezes em que tinha guerra de àgua, lembram? Acho que a conta era de arrasar. Mas nós sabemos que vocês estavam felizes por nos ver felizes. Sabemos o valor de que era estar unidos, sempre juntos, rindo alto. Ficava toda molhada, e embora a água estivesse um gelo, eu sentia-na se esquentar de felicidade.
E todavia vocês se preocupavam com a nossa saúde, com medo de que pegássemos uma gripe, mas por muitas vezes, a gente não escutava-os. Desculpa por isso, não por não ter tomado um banho quentinho logo, mas pelas vezes em que não os escutamos, sendo que vocês estavam bem mais certos, pois pela esta estrada vocês já percorreram.
Me desculpem se estou agindo mal agora. Sei que podem me ver, sei que estão me vendo. Só peço que estejam sempre, sempre ao meu lado me ajudando, e me dando forças para que eu não cometa o mesmo erro. Por favor, me desculpe se não fui uma boa neta, se não aceitei seu presente por... idiotice, não sei. "Me desculpe por tudo e muito obrigado por tudo", é o que eu sempre falo antes de dormir. Obrigado por estar nos protegendo, porque eu sei que vocês estão. Espero que estejam bem, e eu sei que estão.

Sinto muitas saudades,
Isabella