sábado, 1 de setembro de 2012

UPA: Curso de Midialogia

Instituto de Artes


Acabei de voltar da UPA (Unicamp de Portas Abertas) e agora eu estou escrevendo, comendo chocolate e escutando a minha mãe falar. Estou muito cansada, porém bastante feliz, pois hoje tive a confirmação sobre o curso que pretendo fazer. Estava muito abafado e com muito sol, mas deu para compensar com as árvores do gigaaaante campus da Unicamp. Como eu já sabia (e sei) que de artes eu não saio como profissão, eu não saí do Instituto de Artes (IA). Gostei bastante do prédio em geral, mas na verdade eu fui somente com um propósito; tirar o máximo de dúvidas sobre o curso de Midialogia para saber se eu realmente quero prestá-lo. Funcionou e eu me decidi. Mas para você que ainda está indeciso sobre a área, aqui está uma coleta sobre o que eu descobri perguntando e assistindo à palestras na Unicamp de Portas Abertas.

Laboratório de Fotografia
Escultura
Durante todo o tempo eu tive a companhia do meu amigo Diego que também estava interessado em Midialogia, mas mais em rádio, pois ele entende e já mexe com isso. Primeiramente fomos visitar os trabalhos dos alunos que fazem Artes Visuais, portanto vimos onde eles revelam as fotos; vimos esculturas (liindas, por sinal) e vimos a área de Artes Plásticas. Se eu não me engano, já está incluso em Artes Visuais. Muito legal essa última que visitamos, pois tinha a exibição de alguns vídeos de stop motion e alguns desenhos de alunos. Ao ver esses vídeos e alguns desenhos que, mostrados de forma seguida produzem movimento (animação 2D), eu estranhei e fiquei em dúvida sobre o que eu realmente queria fazer. A animação (stop motion) não entra em Midialogia e sim em Artes Visuais na Unicamp?

Animação em Midialogia?
Bingo! Diferentemente do curso de Audiovisual da USP, na Unicamp o stop motion é visto em Artes Visuais – não focando animação. Já no da USP, eu sei que há um curso extra curricular sobre animação, onde eles veem bastante stop motion e apenas introduzem algo sobre animação 3D. Isso já deixa a desejar em Midialogia (Unicamp). Na verdade, eu não sei bem se esses alunos chegam a pelo menos estudar sobre a história da animação, mas estes não fazer stop motion.

Saindo do prédio e continuando neste tópico, eu fui tirar dúvidas com os alunos que fazem Midialogia. Perguntei para uma garota que, provavelmente, estava em seu último ano de curso, se tem um estudo sobre animação. Talvez foi a minha falta de clareza, mas ela não soube realmente me explicar a presença deste tipo de arte. Pelo o que eu pude entender, há alunos que também estão nessa de animação e desenho, mas que procuram se informar por si só sobre essa área. Não sei se eles chegam a estudar pelo menos a história da animação, mas provavelmente há alguma matéria eletiva que chega perto disso.

Depois desse rápido diálogo, eu e o meu amigo nos retiramos num canto e descansamos um pouco. Para não me arrepender depois, tirei da minha bolsa um caderno e anotei tópicos sobre o que eu gostaria de saber (Dica: isso ajuda muuuito). Voltamos novamente para a mesa e fizemos as perguntas para um rapaz muuuito simpático de quem eu nem ao menos sei o nome e de que eu nem ao menos tive a inteligência de tirar uma foto como recordação. Me arrependo profundamente de não ter feito isso na hora. (Outra dica: se você conhece alguém legal, pergunte o nome e tire uma foto. Na hora)

Prédios do Instituto de Artes

Mercado de Trabalho
Esse foi o primeiro tópico da lista, como é o principal interesse de qualquer pessoa sobre qualquer curso. Pois bem, o mercado de trabalho neste em específico é beeeeem amplo. Afinal, na área de comunicação, você consegue trabalhar em vários seguimentos, desde fotografia até em programação de jogos para internet. Para podermos falar disso, em geral o aluno de Midialogia estuda as histórias da fotografia; da TV; do cinema; do rádio e da internet. Portanto, vou listar uma coleta que eu mesma fiz relacionadas ao curso e dos que ouvi dos próprios alunos. O profissional pode trabalhar em: emissoras de TV’s (Globo, SBT, Record, TV Cultura…); em empresas de publicidade (que fazem comerciais, por exemplo); em curtas ou longas metragens (meio cinematográfico(roteiro)); na internet (programação de jogos, etc); em estúdios de fotografia;  além também de montar sua própria empresa para atuar em alguma dessas áreas, ou até mesmo ser crítico.

Sobre os ex-alunos da Unicamp que já estão no mercado de trabalho, há os que trabalham na Globo (segundo o estudante, a empresa contrata bastante) – e em outras dezenas de emissoras de TV –; os que já programaram um jogo para esta mesma empresa para a internet; os que ganharam prêmios importantes (como de melhor direção e roteiro) no festival de Gramado; e há um aluno que já mandou um curta para o festival de Cannes.


É mais teoria?
Sim! Infelizmente, para você que odeia teorias e ama práticas, sim. Se você é desses, fique com um pé atrás diante deste curso, pois os alunos disseram que tem que escrever bastante e há vezes que tem que assistir dez filmes em uma semana. Ah! Parece que eles também dão uma passada no estudo de antropologia.

Sobre estágios obrigatórios
Sim, em alguns cursos isso existe. No de Audiovisual da USP provavelmente tem, mas no da Unicamp, não. Perguntei se tem oportunidades para estágios dentro do campus, mas vou deixar isso em aberto pois não sei se ele estava se referindo a isso mesmo (trabalhos remunerados em pesquisas ou em bibliotecas do campus que, geralmente, a instituição oferece ao estudante) ao dizer que não, ou então estava dizendo se existe estágios para o profissional em Campinas. Calma! Isso não quer dizer que eu estou contradizendo tudo o que eu disse sobre o mercado de trabalho, mas a questão é que, segundo ele, geralmente você começa a perceber as portas se abrindo a partir do terceiro ano de curso.

É integral?
Sim. Diferentemente do curso da USP, a Midialogia é integral. Segundo os estudantes, o primeiro semestre (ou ano, não me lembro) todas as matérias são obrigatórias, mas depois é misturado: há as eletivas e algumas obrigatórias. Disseram também que depende muito do próprio esforço do estudante para que o curso não faça “efeito” e se torne “vázea”. Lá eles são livres para fazer o que bem entenderem e não são cobrados para nada; próprio de faculdade.

Livros
Este é um tópico bem importante (créditos ao Diego que pensou nisso) para aqueles alunos que não têm muitas condições para materiais de estudo (livros, principalmente). E, muuuuito felizmente, os meus informantes me disseram que é muito fácil encontrar os livros que os professores pedem dentro do próprio campus nas dezenas de bibliotecas espalhadas– dentre elas, a de artes e comunicação. Este é um ponto extremamente positivo para a Unicamp em relação à USP (em qualquer curso, creio eu); a riqueza de livros disponíveis. Segundo meus amigos que foram para os outros prédios, parece que a Unicamp ganhou vinte mil livros para alguns cursos. Fora que, segundo eles novamente, a biblioteca é gigantérrima (medicina) e não há espaço para estes vinte mil.

Opinião importante: Em termos de qualidade, na área de saúde e pesquisa a Unicamp é melhor preparada em relação às outras faculdades. Mas como, você leitor, está lendo este texto pois quer Midialogia, este pensamento vai ser deixado para um outro momento.


Este post está chegando ao fim e, portanto,  vou dar outras possíveis informações que eu não tenha dado até aqui. Em geral, o curso de Midialogia da Unicamp é muuuuito teórico e livre, além de ter o mercado de trabalho bastante extenso. Há vagas para trinta alunos e a concorrência no vestibular é a terceira maior em relação a todos os outros cursos oferecidos pela instituição. Então se você quer Midialogia, terá que eliminar quarenta e dois brasileirinhos ( isso faz com que eu chore rios de lágrimas, pois a cada ano este número aumenta). É uma área que está crescendo muito, mas não devemos tirar nossos pézinhos do chão e achar que vamos nadar em dinheiro, pois depende muito sobre no que e onde você vai escolher trabalhar quando terminá-lo.

Parece que só tem pontos positivos em Midialogia, mas se você for ver por outro lado, a prática é tão importante quanto a teoria. Portanto depende MUITO mais do aluno em si – em correr atrás da prática da área que o interessa – do que da própria faculdade (estamos falando de Unicamp, na USP ou em outra instituição já é outro caso) em si sobre o futuro sucesso deste indivíduo no mercado de trabalho. Também fui numa palestra sobre a Midialogia e vi um piloto de um longa (Turno da Madrugada) e um curta (Sonhadouro) produzidos por alguns alunos. Segundo o (aluno) que dirigiu e produziu o primeiro e que estava na mesa do palco, esses vídeos não são obrigatórios, apenas são feitos nos casos em que há o interesse dos estudantes em levar o processo em frente.

Sobre o TCC, o aluno terá que apresentar quatro trabalhos dos cinco assuntos principais (fotografia, TV, cinema, rádio e internet) que foram estudados durante todo os quatro anos. Segundo uma aluna, não há muita avaliação em si, mas sim, seminários.

Espero muuuito ter te ajudado com suas dúvidas. Qualquer coisa, acesse a página “Midialogia – Vestibular” do facebook e faça sua pergunta que eles responderão. J

A UPA foi uma ótima oportunidade para eu conhecer melhor o curso que pensava em fazer. Agora eu tenho certeza. Infelizmente não tem foque algum em animação, mas esse ponto é culpa de toda a rede de faculdades e do próprio mercado brasileiro cinematográfico que não está ápito para essa tecnologia. Acho que o mais importante em eventos como esse é o diálogo com os estudantes sobre tudo o que você tiver com dúvida. Ir e conhecer os prédios e poder ver os trabalhos de alguns alunos é importantíssimo para você poder ver a qualidade do curso. Se tiver oportunidade, vá no ano que vem e conheça! Você não vai se arrepender.

PorBella